Igualdade racial é tema de Conferência Regional em Paracatu

Buscando fortalecer e discutir a criação de mecanismos de promoção da igualdade racial, alinhado ao combate ao racismo, a Prefeitura Municipal de Paracatu, por meio das secretarias de Cultura e Turismo e de Desenvolvimento e Ação Social, em parceria com a Associação dos Municípios do Noroeste de Minas (AMNOR), promoveram nesta quinta-feira, 27 de julho, a “I Conferência Regional de Promoção da Igualdade Racial”.

O evento foi realizado no auditório da AMNOR e contou com a participação de autoridades, representantes de várias entidades dos municípios do noroeste mineiro, educadores e membros da sociedade civil. Abrindo as atividades, o grupo Afro N’ Igonda da Fundação Municipal Casa de Cultura, fez uma apresentação de Maculelê para os participantes.

Na abertura, a superintendente da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (SEDPAC), Yone Maria Gonzaga, agradeceu o apoio de todos os envolvidos na realização da conferência. “Paracatu atendeu prontamente o pedido da secretaria, aceitando o convite de sediar este importante evento. Precisamos construir e promover a igualdade racial em todo o Noroeste Mineiro e Paracatu está no caminho certo”.

Para o secretário de Cultura e Turismo, Isac Arruda, todas as formas de preconceito tem que ser debatidas. “O objetivo principal desta união, deste encontro, é avançar e promover políticas públicas e propostas efetivas para acabar com toda e qualquer forma de preconceito. Existem direitos e eles precisam ser respeitados por todos, essa é a nossa luta”.

Já a secretária de Desenvolvimento e Ação Social, Ana Amélia de Melo Medeiros, agradeceu a presença de todos os representantes dos municípios do noroeste de Minas e ressaltou a busca pelos direitos de todas as classes. “Estamos realmente satisfeitos pela grande representatividade em um debate tão importante. Que bom que todos reconhecem que precisamos avançar e lutar pela igualdade racial. Precisamos estar cada vez mais alinhados para que todas as minorias sejam atendidas” salientou.

Durante a conferência, a pedagoga paracatuense, Lara Franco, mestranda em educação na linha de políticas públicas educacionais para educação quilombola da UFU – Universidade Federal de Uberlândia apresentou a sua tese de mestrado/doutorado que busca entender como é ser negro em Paracatu, contextualizando os presentes sobre atual situação do negro no município. Na avaliação da pedagoga, a conferência foi um sucesso. “O debate é sempre importante, pois reforça que temos que tomar uma atitude e buscar promover várias ações em prol da igualdade de raça.

Foram avaliados também, os avanços, os desafios e as perspectivas das Políticas de Promoção da Igualdade Racial, através da formação de grupos de trabalho com temas específicos para a elaboração de propostas para a promoção da igualdade racial. Todas as propostas farão parte de um documento que será enviado para a da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (SEDPAC).

Fonte: ASCOM/SEGOV
______________________________________________________________
Curta nossa página no FACEBOOK e nos siga no INSTAGRAM!